Eu e tu, tu e eu…

Estou a sentir-me confusa, dividida, insegura, angustiada, ansiosa, é uma grande mistura de sentimentos.
Quando te fui conhecer, não havia expectativas, mas depois da primeira saída tive medo, muito medo mesmo. Todas as minhas habituais barreiras, todos os alarmes, todos os alertas e sininhos dispararam. Nada que uma boa e sincera conversa não tenham resolvido, e depois disso as coisas mudaram e algumas dessas paranóias da loira desapareceram. A convivência, as conversas, as brincadeiras e os percalços fizeram com que me fosse envolvendo e as barreiras e os medos foram se dissipando um a um. Mas quando pensei que as coisas iam melhorar, que nos íamos conhecer melhor, de forma descontraída, o destino prega uma partida e leva-te para bem longe. E é aqui que o turbilhão de sentimentos começa a surgir.
Fiquei triste por te ver partir, mas ao mesmo tempo feliz por saber que era algo que querias muito. Foi uma luta interior grande, para não desabar na tua frente e dar-te força. Sexta-feira foi um dia muito complicado.
Agora, que já se passaram uns dias da tua partida, para além da distância veio também o silêncio e a ausência. Eu sinto imensas saudades tuas, sinto falta das nossas conversas, das brincadeiras e até mesmo do mau feitio.
Sinto-me angustiada e insegura, por não saber o que se passa contigo e na tua mente. Se sentes a minha falta, assim como eu sinto a tua.
Se te estás a afastar com a intenção de me proteger, de te proteger a ti ou só porque sim.
Se estás realmente bem?
Será que a distância vai ditar o fim desta história?
Irá o afastamento acabar com o sentimento que estava a começar a crescer entre nós?
Devo dar-te mais espaço ou estar mais presente?
Estas são algumas perguntas que passeiam pela minha mente.
Sim, isto acontece porque gosto de ti, porque me sinto bem na tua companhia, porque me sinto segura ao teu lado.
Claro que a proximidade e a convivência ajudam qualquer tipo de relacionamento, mas será que a distância também não é benéfica?!
Como é que fazemos?! Será que perdemos tudo?!

Anúncios

Nota

Cansada

Já à algum tempo que não me sentia assim tão mal, tão insignificante, a mais, até mesmo indesejada, infelizmente isso tudo voltou. É terrível chegar a este ponto, onde não nos sentimos bem, enquadrados, desejados em parte alguma. Juro que tenho tentado dar a volta, que luto para fazer as coisas mudarem, mas quando parece que vai começar a encarreirar acontece algo e tudo se desmorona novamente. Confesso que já me faltam forças e vontade para continuar a lutar, tem horas que só apetece desistir, mas depois olho à minha volta e vejo pessoas em situações bem piores que a minha a lutar e sinto-me obrigada a não baixar os braços. Mas é difícil, principalmente quando não temos apoio de quem está mais próximo de nós. E dói perceber que essas pessoas não falam connosco, mas falam de nós nas nossas costas. Que não nos dão abertura para desabafar, mas sabem críticar sem saber metade do que sentimos, pensamos ou passamos nesta situação.
Pode não fazer sentido para muitas pessoas, mas sinto-me deslocada até mesmo dentro da casa onde me devia sentir segura.
Aos 32 anos já devia ter uma vida organizada, mas não tenho, muito pelo contrário vivo no verdadeiro caos. E com o que se tem passado cada vez tenho menos vontade de lutar, de me esforçar. Por muito que tente nada, mas nada mesmo corre bem.
Penso mil vezes antes de fazer seja o que for, penso em toda a gente à minha volta, para quê? Quando tem que pisar, usar, brincar, fazem-no e não se preocupam se eu vou ser magoada ou não.
Pergunto-me muitas vezes para quê que perco tanto tempo a pensar e ajudar os outros?

Estou realmente cansada de tudo.

Nota